© Reprodução

polícia prendeu uma pessoa suspeita de participar da maior chacina do estado do Ceará, que resultou em 14 mortos. Os assassinatos ocorreram durante uma festa no Bairro Cajazeiras, em Fortaleza, na madrugada deste sábado (27).


De acordo com informações repassadas pelo secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa ao portal ‘G1’, além da prisão, a polícia também conseguiu apreender um fuzil e uma bomba de gás lacrimogêneo que estava no local do crime.

O secretário, no entanto, disse que as investigações ainda estão acontecendo e preferiu não atribuir o crime a uma disputa entre facções. Segundo ele, a chacina foi “um caso pontual” e o “estado não perdeu o controle [do combate ao crime]”.

A chacina

A Policial Militar, além de moradores do bairro, informaram que membros de uma facção criminosa dispararam contra a danceteria “Forró do Gago” por volta de 1h30 (horário de Brasília). Vários homens armados chegaram em três carros, invadiram o local e dispararam tiros, conforme os relatos.

Ainda segundo o ‘G1’, entre os 14 mortos, há oito vítimas do sexo feminino e seis do sexo masculino. Um motorista do aplicativo Uber e um vendedor de cachorro-quente estão entre os mortos. Um menino de 12 anos ficou ferido. Os nomes não foram divulgados.

Outras dez pessoas ficaram feridas e foram hospitalizadas, duas em estado grave. Sete continuam internadas no Instituto Dr. José Frota (IJF) e outro no hospital Frotinha de Messejana.