Chacina aconteceu no Beco de Releixo, no bairro das Rocas, nesta terça-feira (27) (Foto: Cláudia Angélica/Inter TV Cabugi)

Embora não descarte nenhuma possibilidade, a rixa entre facções criminosas e o tráfico de drogas são as linhas de investigação que norteiam os trabalhos da Polícia Civil do Rio Grande do Norte quanto à chacina ocorrida na tarde desta quarta-feira (27) no bairro das Rocas, Zona Oeste de Natal. A informação é do delegado Marcos Vinícius, um dos titulares da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).



Ao G1, o delegado ressaltou que a hipótese de a chacina ter relação com a atuação de facções também leva em consideração uma mensagem que chegou ao conhecimento da DHPP, na qual uma facção assume a matança e explica que as vítimas foram executadas porque teriam sido responsáveis por três homicídios que não foram autorizados pelos chefes da facção. A mensagem ainda chama a atenção para o que seria um plano de criação de uma terceira organização criminosa na cidade, atitude que a tal facção diz “não tolerar”.

Quanto à hipótese de a chacina ter relação com o comércio ilegal de drogas, Marcos Vinícius pondera que as vítimas podem ter sido mortas como um acerto de contas por dívidas que elas teriam com traficantes da região, por exemplo.

A chacina das Rocas foi a oitava registrada este ano no Rio Grande do Norte.