© PixaBay

Embora notícias sobre novos golpes aplicados por WhatsApp sejam frequentes – e hackers roubem dados bancários e pessoais -, os cibercriminosos nunca são presos no Brasil. Agora, por que isso acontece?

O ‘UOL Tecnologia’ ouviu um especialista no assunto que garantiu que a “culpa” é do aspecto técnico deste tipo de golpes. Cibercriminosos são especialistas em desaparecer com rastros, ao esconder o IP e cair no anonimato.

“A internet não tem bordas”, explica o analista de segurança da Kaspersky, Fábio Assolini. “A investigação demora, principalmente quando há solicitação de dados de servidores em outros países. Nesse tempo, o criminoso já eliminou as evidências que podem ser usadas nessa investigação e está fazendo outro golpe”, completa.

Outra dificuldade em deter estes criminosos está relacionada à falta de preparo da polícia brasileira, que muitas vezes não têm divisões específicas para o cibercrime.

Antes de tudo, é necessário que uma denúncia seja feita para que uma investigação seja iniciada. No entanto, por conta da burocracia, muitas vítimas desistem de procurar a polícia nestes casos.

“Os ataques no WhatsApp têm grande alcance, mas, como a fraude é individual e nem todos vão prestar queixa, fica por isso. O valor debitado do usuário vai para um lugar, e as operadoras sabem. Isso pode ser usado em uma investigação”, explica Assolini.