© Reprodução Facebook

Uma investigação aberta pela Polícia Civil aponta que a mulher do policial militar Moshe Dayan Simão Kaveski, de 28 anos, é a principal suspeita do seu assassinato. Deise Ribeiro de Oliveira, de 23 anos, teria usado a própria arma do marido para cometer o crime.


De acordo com o G1, a suspeita foi presa e deu várias versões para o ocorrido. Embora ela negue participação no assassinato, a arma do policial foi encontrada em sua bolsa. O PM sofreu disparos na cabeça e no tórax.

No primeiro momento, Deise contou que ela e o marido foram abordados por uma mulher. Depois, entre várias versões da história, disse que dois criminosos levaram os celulares do casal. O aparelho, porém, foi encontrado em um local próximo ao muro da residência onde moravam. Segundo a reportagem, testemunhas relataram uma discussão do casal horas antes do assassinato.

A Polícia também informou que Deise teria um caso extraconjugal com um homem que chegou a ser detido na segunda-feira. No entanto, investigações não provaram a participação do suspeito no crime. Perícias ainda serão realizadas na mão da Deise e na arma do soldado.