Spiral galaxy, illustration of Milky Way

A origem da rocha Hypatia, encontrado no deserto do Saara, no Egito, em 1996, ainda é um mistério para os cientistas. Um estudo revelou que os elementos que compoem essa rocha única não podem ser encontrados em nenhum lugar da Terra, ou mesmo em qualquer parte do Sistema Solar.

De acordo com a pesquisa, a rocha é composta por minerais que não pertencem a nenhum meteorito ou cometa. Ou seja, os elementos que se encontram dentro dela não podem ser achados em nenhum lugar já conhecido pelo homem.

+ Stephen Hawking alerta sobre ameaça que tornará a Terra inabitável

Apesar de ter sido descoberta em 1996, somente em 2013 os investigadores da Universidade de Johannesburgo (África do Sul) confirmaram que a Hypatia é de origem extraterrestre, tornando-se assim um objeto único na Terra.

Para saber mais sobre essa rocha misteriosa, os cientistas analisaram a sua composição química e descobriram que a pedra não possui um mineral conhecido como silicato, que geralmente é encontrado em objetos espaciais que se movem dentro do Sistema Solar.

Notícias ao Minuto

Nessa conexão, o pesquisador principal, Jan Kramers, destacou que esta pedra rompe todas as teorias. “Nos meteoritos do tipo condrito, observa-se uma pequena quantidade de carbono e considerável quantidade de silício. Mas a Hypatia tem uma enorme quantidade de carbono e uma quantidade excepcionalmente pequena de silício”, explicou, adicionando que a Hypatia se formou em um ambiente frio.

Os componentes do carbono ou os hidrocarbonetos policíclicos presentes na Hypatia, são elementos principais da poeira interestelar — acredita-se que existam mesmo antes da formação do nosso Sistema Solar. Portanto, o último estudo sobre a composição química da pedra, poderá dar novo impulso aos cientistas para reconsiderarem a formação do Universo. Com informações do Sputnik Brasil.