Médico morre após trabalhar 72 horas seguidas

Família da vítima pede indenização milionária para hospital

453

Após ser forçado a trabalhar por cerca de três dias seguidos em um hospital infantil, um pediatra italiano sofreu um ataque cardíaco, faleceu e teve seu corpo encontrado apenas um dia depois.

O caso aconteceu em agosto de 2012, mas só foi divulgado nesta quarta-feira (1), porque a esposa da vítima, Maria Accardo, médica e colega de trabalho do marido, entrou com um processo milionário contra o hospital Civico de Palermo.

De acordo com o advogado de defesa, Giuseppe Di Cesare, a viúva de Eugene Rappa, de 53 anos, pede a indenização máxima de 2,568 milhões de euros.

Este não é o único caso registrado. Na última semana, a modelo russa Vlada Dzuyba, de 14 anos, morreu após complicações de saúde por esgotamento depois de trabalhar por mais de 13 horas consecutivas na Semana de Moda da China. Com informações da ANSA.