Câmera de segurança mostra traficante sendo socorrido na UPA (Foto: Reprodução)

Foram divulgadas pela polícia, nesta quarta-feira (18), imagens que mostram traficantes do Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio, invadindo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré para exigir que um dos criminosos, ferido em tiroteio com policiais militares, fosse socorrido.



Era por volta de 0h30 quando os criminosos invadiram a UPA. Na ação, os bandidos também utilizaram uma ambulância da unidade para sequestrar um médico da UPA, para que ele prestasse socorro a Renan Henrique Barbosa Campos, conhecido como RN, apontado como gerente do tráfico na Vila do João.

Nas imagens registradas pelas câmeras de segurança da UPA é possível ver diversos homens armados com fuzis e pistolas entrando na unidade, na madrugada de domingo (15), e exigindo que Renan fosse socorrido.

Um deles apanha uma maca e, logo em seguida retorna com o criminoso ensanguentado. Minutos depois, criminosos deixam a sala com um colete à prova de balas. Além de fuzis e pistolas, os bandidos estavam com radiotransmissores.

Criminosos armados invadiram UPA da Maré (Foto: Divulgação Polícia Civil)
Criminosos armados invadiram UPA da Maré (Foto: Divulgação Polícia Civil)

O delegado titular da 21ª DP (Bonsucesso), Wellington Vieira, responsável pelas investigações, disse que Renan é homem forte de Thiago da Silva Folly, conhecido como TH, um dos chefes do tráfico no Complexo da Maré. Ele afirmou nesta quarta que está analisando todos os vídeos para tentar identificar os criminosos que participam da ação.

Criminosos está sendo atendido em favela

Também nesta quarta-feira (18), o delegado Wellington Vieira informou que o traficante ferido no tiroteio, Renan Barbosa Campos, o RN, estaria sendo atendido numa das favelas do conjunto de favelas da Maré.

Para o delegado, no entanto, o traficante estaria tendo um atendimento precário quando, na verdade, precisaria estar numa unidade de tratamento intensivo. Renan ainda teria passado por uma cirurgia no braço num local que, por enquanto, a polícia desconhece.