A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, durante o anúncio do resultado das contas do governo de novembro (Foto: Laís Lis / G1)

A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, afirmou nesta terça-feira (26) que está em estudo no Ministério da Fazenda e no Banco Mundial um plano para ajudar o Rio Grande do Norte.



Com os salários dos servidores atrasados, o estado tinha o objetivo de receber R$ 600 milhões da União, por meio de uma medida provisória. Mas o Ministério da Fazenda negou o repasse após recomendação do Ministério Público de Contas.

Segundo Ana Paula Vescovi, o plano em análise deve incluir uma operação de crédito do Banco Mundial ao estado para dar alívio temporário às contas públicas, além de um programa de controle de gastos.

A secretária também afirmou que a União não repassará valores ao Rio Grande do Norte.

O plano, acrescentou Ana Paula, poderá servir de parâmetros para outros estados que a exemplo do Rio Grande do Norte tenham baixo índice de endividamento, mas enfrentam dificuldades financeiras.

Tratatamento igual

Ao comentar o assunto nesta terça, Ana Paula Vescovi disse também que a decisão do Ministério da Fazenda de vetar a ajuda foi tomada porque o governo tem uma preocupação com relação ao tratamento igualitário entre os estados.

Segundo a secretária, qualquer ajuda orçamentária ao Rio Grande do Norte e a outros estados neste momento estão descartadas.

“Temos muito respeito com o que acontece com a sociedade potiguar, mas temos balizas legais institucionais que são importantes de serem observadas e que geram essa segurança institucional”, disse.

Crise na segurança

O estado enfrenta paralisações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil há uma semana. Desde a terça-feira (19), PMs se negam a sair dos batalhões da capital e do interior.

Desde então, vários arrombamentos de lojas, roubos de carros e assaltos foram registrados na região metropolitana de Natal.

Diante deste cenário, o governo federal anunciou o envio de tropas da Força Nacional de Segurança para reforçar o combate ao crime no estado.