© Reprodução

Um grupo de alunos do Colégio Pedro II, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, simulou um “banco do tráfico” em uma atividade em que a proposta era representar o estilo de vida do carioca. Fotos dos adolescentes com fuzis de brinquedo e embalagens que simulam sacos de cocaína e tabletes de maconha causaram polêmica nas redes sociais.

 A atividade foi realizada na última terça-feira (5) por cinco estudantes com 16 e 17 anos. Como cita o “UOL”, a única menina do grupo representou a mulher do chefe do tráfico.


Em nota pública, o diretor do Pedro II, Oscar Halac, explicou que o colégio realiza atividades temáticas com frequência e que o grupo agiu sem consentimento dos professores, mas minimizou o ocorrido.”Todos os dias os cariocas se deparam em jornais e revistas, em telenovelas, com ações de traficantes com armas e drogas. Além disso, são vítimas cotidianamente da violência urbana, assassinatos e assaltos, e os alunos do Pedro II muitos residem em áreas risco e vulnerabilidade social”, escreveu.

Halac ainda criticou a divulgação das imagens por um blog. “Prestou-se a divulgar imagens de estudantes com foco totalmente descontextualizado”, disse ele.

Os pais, no entanto, ficaram preocupados com o caso e pediram providências à diretoria. “A gente espera da escola atividades educacionais. Exemplos positivos. Como o colégio permitiu uma apresentação dessa? Esses alunos tinham que ter sido chamados atenção na hora e a exposição suspensa”, disse uma mãe que não quis se identificar ao “UOL”.

O colégio informou que os alunos foram identificados e medidas educacionais foram adotadas.