© Reprodução

Um pastor que quase foi esfaqueado durante um culto na igreja “O Brasil para Cristo”, em Tatuí (SP), revelou detalhes sobre o ataque e disse ter perdoado o agressor em entrevista publicada nesta sexta-feira (8) pelo site G1.

O caso aconteceu em 5 de novembro. O pastor Gétero Augusto de Campos estava no púlpito da igreja quando um jovem de 26 anos subiu ao local e tentou esfaqueá-lo, ms foi detido. O culto era transmitido ao vivo na internet. Após o incidente, o jovem chegou a ser levado para a delegacia, onde assinou um termo circunstanciado de tntativa de lesão corporal e foi liberado.

Segundo o pastor, o jovem teria se irritado com uma das músicas tocadas na celebração. “Depois que os membros da igreja conseguiram detê-lo e a polícia o levou para a delegacia, ele disse que ouviu o louvor que canta que ‘se Deus fizer é Deus e se não fizer, continua sendo Deus’ e ficou irritado porque a mãe dele continua cega. Então, ele alegou que resolveu me esfaquear para ver se Deus era Deus mesmo e quis testar. A ação dele assustou todo mundo. Foi só gritaria. Pânico total”, conta Gétero.

O religioso disse também ter perdoado o ato do rapaz. “Eu perdoei ele do fundo do coração. Eu não tenho nenhum sentimento de raiva, nada. Eu entendo que foi algo para tentar me atingir e que ele foi usado pelo ‘inimigo'”, diz.

Gétero afirma que o agressor vive próximo à igreja e frequentava o culto há cerca de dez anos com a mãe. Após a tentativa de agressão, não voltou mais ao local. “Após o ocorrido, já encontrei com ele várias vezes, porque ele mora praticamente nos fundos da igreja. Ele não consegue me cumprimentar olhando nos meus olhos. Sempre quando eu o vejo, ele abaixa a cabeça e fica sem graça”, revela.